Somos um scanlator que traduz e edita os mangás sem nenhum fim lucrativo.


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

 » CANTINHO CRIATIVO DO MOW » Contos e Fanfics » 

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 [História] Madness em Qui Abr 17, 2014 10:58 pm

Sanye


Staff
Staff
Essa conta a história das pessoas que tiveram suas vidas reviradas e destruídas pelas ações de um Serial killer que gosta de brincar com as pessoas.
É apenas uma Cena da história, e caso gostem posso postar mais. Ela está sem revisão escrevi há um bom tempo atrás e ainda não passei ela pela "autocritica depois da melhora", arrumarei depois~ ;3

Cena 1:

Havia um pequeno parque, onde os pais costumavam levar suas crianças para brincar. Ele era rodeado por arvores, o bairro todo era coberto por um lindo verde, pois era próximo a uma floresta. Nesse momento, porém, havia no parque apenas duas crianças de aproximadamente nove anos. Uma dessas crianças uma garotinha de aparentemente oito anos, ela possuía um cabelo curto e castanho-escuro, olhos da mesma cor, uma feição meiga e bochechas fofas e coradas que dariam vontade de morder a qualquer um, e ao lado dela havia um garoto alguns poucos centímetros mais alto, não aparentava ter mais que do que um ano a mais que ela, ele possuía cabelos vermelhos, pouca coisa mais longo que o dela, seus olhos eram azuis como safiras, ele tinha um rosto gentil e um sorriso meigo. Eles brincavam sentados no chão, enquanto ali perto, sentado em um banco estava um garoto de aparentemente 14 anos, observando-os enquanto brincavam, ele era muito parecido com o menor, porém suas feições eram um pouco mais maduras, até mesmo para sua idade, e seus olhos eram como esmeraldas. Ele os observava, sorrindo, sempre.
— Ei Dan... Do que vamos brincar agora?? – perguntou a garotinha, sorrindo.
— Não tenho ideia... – o garoto sentado à frente dela respondeu, fazendo uma carinha triste – Tem alguma ideia, Rick?
Os dois pequenos olharam para o maior, que estava sentado no banco, com sorrisinhos angelicais e olhos implorativos. O maior sorriu como se tivesse tido uma boa oportunidade para algo que esperava a algum tempo, se levantou do banco e se aproximou deles.
— Brinquem de esconde-esconde, olhem esse lugar... Ótimo pra isso! – ele olhou ao redor, sorrindo – Você começa Dan, você se esconde mal, ficaria sem graça...
— Verdade Dan! Você é péssimo! – a garotinha riu, assim como o garoto maior
— Mentira! Ela quem é muito em encontrar... – o garoto menor cruzou os braços e ficou emburrado
— Vamos, Dan! Vou me esconder, conte até.... CEM! – a garota parecia extremamente animada, o garoto apenas assentiu e escondeu o rosto para que a menina pudesse se esconder sem preocupações.
A garotinha correu em círculos em volta do garoto mais velho e depois correu para o meio de algumas arvores, ele se distanciou um pouco para ter certeza de que poderia observa-los, a garotinha se distanciou de mais.

~~
— 94, 95, 96... 97... 98... 99... 100! – ele descobriu o rosto e olhou ao redor, mas não encontrou o irmão –... Rick...? Esquece... – ele correu, procurando a garotinha com quem estava brincando.

~~
— Mãe, mãe! – o garotinho ruivo, Dan, entrou correndo dentro da casa, lágrimas brotavam de seus olhos.
— Querido, o que houve? Onde está seu irmão? – uma mulher de olhos verdes e cabelos castanhos se aproximou e abraçou o menino
— E-eu não sei, mãe! Eu não sei! Eles sumiram! Eu não consegui encontra-los, fiquei com medo e voltei pra casa! – ele soluçava entre o choro
— Ele te deixou sozinho?? Não se preocupe, irei coloca-lo de castigo assim que chegar! – ela abraçou ternamente o pequeno, acalmando-o.
Haviam se passado horas, passado um dia, o garoto não havia voltado... A garota também não... A policia foi chamada.


Cena 2:

— Entenda isso, David... Você é novo nesse trabalho... E sei que você teve o azar de pegar um caso desses logo de cara... Você vai passar por muitas situações dessas... Por favor, não deixe que isso te afete desse jeito.... – Dizia um senhor de aparentemente 45 anos, enquanto era acompanhado por um rapaz mais jovem - de aproximadamente 23 anos - que parecia aflito, e ao mesmo tempo revolto com algo. Os dois caminhavam por uma viela de um bairro não muito rico, obviamente indo em direção a uma cena de crime.


— O trabalho não está me afetando... Eu simplesmente não me conformo... – o rapaz de madeixas avermelhadas apenas seguia o mais velho.


— Não, David.... Você está ficando obcecado com esse caso.... Você deveria se concentrar na sua família... Afinal, logo você vai se casar...


— Como eu posso me concentrar nisso com uma coisa dessas acontecendo?! Sabendo que ninguém está seguro, nem mesmo minha amada Samantha....


— David! Há casos piores por vir.... Entenda isso.... Há pessoas que fazem de tudo....


— Isso não significa que eu dev-...! – o mais jovem parou abruptamente.


— Oh meu Deus.... Isso.... É realmente horrível... – o mais velho parecia observar algo pior que poderia ter esperado.


Virando ao fim da viela, o que os dois encontraram foi simplesmente uma terrível cena de carnificina, havia sangue espalhado por todo o local, e quatro corpos no total.

Cena:

Um deles era aparentemente o de um homem adulto, havia um corte e buracos profundos no pescoço, havia sido atacado com tanta violência que estava destroçado. Mais ao canto haviam dois corpos, juntos, o de uma mulher adulta, e uma criança de aparentemente quatro anos, ambos desfigurados, cortados de forma brutal, com vários ossos expostos, a mulher, havia levados vários golpes nas costas e nos braços, o que talvez significasse que havia tentado proteger a criança, porém, o corpo mais próximo dos detetives, um corpo menor, aparentemente uma criança de dez anos, era o pior. Os tendões de seus pés haviam sidos cortados, para impelido de correr, talvez, a mão direita da criança havia sido perfurada três vezes, o lado esquerdo de seu peito rasgado, seu joelho estourado, com os ossos expostos, seu rosto estava irreconhecível e coberto de sangue, mas o que mais surpreendeu os detetives foi quando um dos homens da pericia abriu um dos olhos e lá apenas foi encontrado uma "massa", sombra do que um dia havia sido o olhos esquerdo daquela criança, e o direito? Bem, já não havia sinal algum dele, e de acordo com o que disseram, a posição dele indicava que poderia ter tentado fugir.

O mais jovem - David - não aguentou aquela cena, cobriu a boca com ambas as mãos com uma cara de nojo, e correu para fora do local, se ajoelhando próximo a rua, vomitando. Após terminar, se levantou, limpando a boca com a manga de seu sobretudo bege. Agora, tudo que ele tinha era um ódio incomensurável, expressado em sua face.



Última edição por Sanye em Qui Nov 06, 2014 9:41 am, editado 1 vez(es)

2 Re: [História] Madness em Dom Abr 20, 2014 6:11 pm

Hyumi


Lvl 1
Lvl 1
Hum...esta interessante XD

Alguns errinhos básicos, mas nada d+

A história promete, me deixou intrigada, é uma boa forma de começar, continue que eu quero saber o que aconteceu XD

3 Re: [História] Madness em Sab Maio 24, 2014 12:35 am

Gradiane


Viajante
Viajante
muito legal... vc vai continuar a história?
fiquei curiosa.

4 Re: [História] Madness em Ter Jul 15, 2014 7:34 pm

Sanye


Staff
Staff
Desculpem o tempo afastada.... u.u" Mas, SIM, vou continuar! (tentar) Assim que possível postarei algo, mesmo que um trecho u.u Beijos, não sintam saudades. Mentira. Sintam sim. Mentira. Não precisam sentir. Okay, me ignorem.  

5 Re: [História] Madness em Qui Nov 06, 2014 9:37 am

Sanye


Staff
Staff


Cena 2  


— Entenda isso, David... Você é novo nesse trabalho... E sei que você teve o azar de pegar um caso desses logo de cara... Você vai passar por muitas situações dessas... Por favor, não deixe que isso te afete desse jeito.... – Dizia um senhor de aparentemente 45 anos, enquanto era acompanhado por um rapaz mais jovem - de aproximadamente 23 anos - que parecia aflito, e ao mesmo tempo revolto com algo. Os dois caminhavam por uma viela de um bairro não muito rico, obviamente indo em direção a uma cena de crime.


— O trabalho não está me afetando... Eu simplesmente não me conformo... – o rapaz de madeixas avermelhadas apenas seguia o mais velho.


— Não, David.... Você está ficando obcecado com esse caso.... Você deveria se concentrar na sua família... Afinal, logo você vai se casar...


— Como eu posso me concentrar nisso com uma coisa dessas acontecendo?! Sabendo que ninguém está seguro, nem mesmo minha amada Samantha....


— David! Há casos piores por vir.... Entenda isso.... Há pessoas que fazem de tudo....


— Isso não significa que eu dev-...! – o mais jovem parou abruptamente.


— Oh meu Deus.... Isso.... É realmente horrível... – o mais velho parecia observar algo pior que poderia ter esperado.


Virando ao fim da viela, o que os dois encontraram foi simplesmente uma terrível cena de carnificina, havia sangue espalhado por todo o local, e quatro corpos no total.

Cena:

Um deles era aparentemente o de um homem adulto, havia um corte e buracos profundos no pescoço, havia sido atacado com tanta violência que estava destroçado. Mais ao canto haviam dois corpos, juntos, o de uma mulher adulta, e uma criança de aparentemente quatro anos, ambos desfigurados, cortados de forma brutal, com vários ossos expostos, a mulher, havia levados vários golpes nas costas e nos braços, o que talvez significasse que havia tentado proteger a criança, porém, o corpo mais próximo dos detetives, um corpo menor, aparentemente uma criança de dez anos, era o pior. Os tendões de seus pés haviam sidos cortados, para impelido de correr, talvez, a mão direita da criança havia sido perfurada três vezes, o lado esquerdo de seu peito rasgado, seu joelho estourado, com os ossos expostos, seu rosto estava irreconhecível e coberto de sangue, mas o que mais surpreendeu os detetives foi quando um dos homens da pericia abriu um dos olhos e lá apenas foi encontrado uma "massa", sombra do que um dia havia sido o olhos esquerdo daquela criança, e o direito? Bem, já não havia sinal algum dele, e de acordo com o que disseram, a posição dele indicava que poderia ter tentado fugir.

O mais jovem - David - não aguentou aquela cena, cobriu a boca com ambas as mãos com uma cara de nojo, e correu para fora do local, se ajoelhando próximo a rua, vomitando. Após terminar, se levantou, limpando a boca com a manga de seu sobretudo bege. Agora, tudo que ele tinha era um ódio incomensurável, expressado em sua face.

6 Re: [História] Madness Hoje à(s) 1:39 pm

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum